aposentos: reforma e reformatório

citações,notas de estudo, diatribes

colaterais

Eu bem te pedi que fechasses a boca e nem mais uma palavra dissesses. Mas tu tinhas de espalhar a palavra e nada mais merecia a tua atenção.
Só depois percebeste que estavas a caminho do deustista.
Quando voltámos para casa ainda conseguiste abrir a boca e dar à língua para murmurar: Antes o inferno!

naquele dia fiz de conta

naquele dia fiz de conta
que foi o pior que pude fazer

para não mudar de passeio
e não mostrar que chorava por te ver

no outro lado da rua pudeste
continuar em paz o teu caminho

enquanto imaginavas a verdade
de confundir timidez com carinho

mas ficava-te mal a ti gritar
para que te ouvisse e voltaste

atrás quase a correr para olhar
aquele moribundo que abandonaste

ainda vivo no meio da tua estrada
onde soubeste fingir que o atropelaste

e estás agora a fingir como eu
que não te lembras de passado algum

mesmo que ele te persiga
para que não possas sentir futuro algum.