aposentos: reforma e reformatório

citações,notas de estudo, diatribes

Categoria: religião

sobre o sentimento religioso

O sentimento religioso toma a forma de um enorme deslumbramento diante da harmonia das leis naturais, que revelam uma inteligência tão superior que, comparada com ela, todo o pensamento e toda a acção sistemática dos seres humanos não passam de um reflexo insignificante.

Einstein, The world as I see it, 1934

citado por John Huss em

A filosofia segundo Monty Python, Estrela Polar, Cruz Quebrada:2009

quem fala muito em empreender, fala do nada que faz ou do que fala por falar

Há pessoas que falam muito para dizer pouco. Há conselheiros para aconselhar a fazer o que nunca fizeram nem sabem do que falam o que mal leram ou ouviram para regurgitar. Deviam aconselhar a fazer nada ou a ler mal ou a ouvir mal se aconselhassem o que fazem. Se continuamos assim vai chegar o dia em que toda a gente se dedica ao trabalho de dar conselhos e fazem disso profissão.

Eu nem conselhos tenho para dar e, por isso e por ser sério, resolvi não ser conselheiro, nem qualquer outra coisa. Não exercendo profissão, poderiam considerar-me desempregado que não sou porque nunca quis um emprego e aceitei muito trabalho mal pago muitas vezes e às vezes mais do que podia.

Não fui despedido nem me despedi, só decidi ir pensar para os meus aposentos e também nas ruas da cidade onde os aposentos se localizaram.

Muitas vezes falamos da experiência que vamos acumulando. Isso é bom e foi bom para mim, embora muitas vezes tivesse sido necessário experimentar a experiência com vista a saber os resultados obtidos em vida. A matemática obriga-nos a algumas dependências de ciências experimentais e só por isso é que falamos das experiências já feitas por outros em laboratórios. Embora haja quem considere o que chamam experiência de vida, eu não dou valor a essa experiência antes de experimenar a morte. Na volta talvez vos posssa dizer o que foi a vida e o que é a eternidade.

a obra do homem segundo

o homem inventou à sua imagem
um deus que tudo sabe e este inventou
a educação dos homens para os fazer
à sua imagem.

Então os homens inventaram os programas e as quedas das estrelas, inventaram o pecado e partiram, despedindo-se do paraíso da imagem que ele lhes ofereceu. Disseram a deus e finalmente partiram para fora de todas as imagens e para a absoluta escuridão.

Para reinventar a energia, a luz eléctrica dos estádios, etc. E para terem essa luz decompõem em partículas que nem deus conhecia e que era indivisível na divina sabedoria.

Arrefecem artificialmente o efeito do sol… experimentalmente inconscientes. Aquecem-se em fogueiras que ateiam nos pipe-lines, constroem o inferno enquanto dizem que não acreditam nele.

Disseram a deus para reconstruir a partir do nada, o nada.