quanto mais ando sem…

by adealmeida

Quanto mais ando, sem quaisquer problemas, mais dores sobram para as paragens: nos músculos e articulações dos membros superiores e inferiores esforçados pelo caminho movimentado que passa ele sim por mim sem que se apresente. Há sempre alguém para dar nomes aos caminhos.

E é por isso, que leio nomes de caminhos e lugares nas placas como sei que lia as placas com os nomes dos participantes em encontros e desencontros em que participei

e ou até organizei; para esses ainda me lembro em abstracto dos escritos nomes de inscritos às centenas em folhinhas e nos teclados de computadores para serem despejados em crachás(?)

sem ter guardado mais que esta informação de ter passado por eles ou de eles terem passado por mim sem saber mais de qualquer deles do que sabia antes que era nada. Sobrou nada disto tudo?
Alguma coisa deve ter sobrado, alguma pessoa de que escrevi e ou li o nome (passado pelos meus lábios) entre outros deve ter ficado comigo de memória por alqum tempo até que o tempoda sua emória visitou o seu jazigo em mim e sossegou. E é só isto o que sei, o que sobrou de tanto enamoramento e encontro.

Quando por acaso um reencontro inclui reconhecimento, visito o jazigo onde está descansado da canseira que foiconhecermo-nos ou pensarmos que assim foi. Não chega a haver exumação de qualquer ideia digna desse nome. Muitas vezes confirmo que neste citado jazigo na minha memória não sobrevive lá vivalma e não sei o que dizer para acabar a ser o mesmo de sempre a dizer disparates que são as respostas parvas que o esquecimento nos fornece em substituição da vida passada. E tudo recomeçar de novo quando o reencontrado sabe o que nós perdemos e nos aghuça o desejo do passado desancorado pela nossa cobardia e o nosso medo imenso de viver outra coisa senão o presente em passagem rápida que interessa viver sem memória futura.

Como um instantâneo que temos num último rolo da velha máquina fotográfica que nunca mandámos revelar até o perder de vista e de vez, assim também este presente encontrará o seu jazigo memorial sem original nem cópia…