a cantar é que a gente não se entende

by adealmeida

passei a mão pelo teu vestido

que pareceu  seda como as tuas mãos

me pareceram

quando mas deste para arranjar

 

de outra vez  pousei os olhos

no teu decote onde me parece

haver lugar a mais uma mão

e tu concordaste quando falei

 

sobre o tempo que faz lá fora

e tu  que não havia tempo

para brincadeiras talvez

mais tarde noutro dia ou lugar

 

deve ter sido assim que te conheci

para depois te esquecer até hoje

que te ouvi falar em voltar

e eu entredentes

 

bem podias ter ficado

noutro tempo ou lugar

de que raio te foste lembrar

onde me viesste buscar

 

podias ao menos dizer-me o teu nome

 

 

© adealmeida, 17.09.2016