A passagem dos dias.

by adealmeida

(…) os proventos de H. J. somavam em cada ano o suficiente para sustentar-se a si mesmo e à mulher com essas comodidades que na província se tende a considerar como luxos.
Usufruía discretamente dos seus bens e a perspetiva verossímil de vir a ser rico deixava-o completamente indiferente.
Era, para além do mais, um desses homens que preferem assistir à sua própria vida e consideram improcedente qualquer aspiração a vivê-la.
Terão reparado que se trata de pessoas que contemplam o seu destino do mesmo modo que a maioria das pessoas costuma contemplar um dia de chuva (…)

“SEDA” . Alessandro Baricco (texto) , Rebecca Dautremer (ilustrações). Contempla/Edelvives. Narrativa Ilustrada.