aníbal silva

Um dia,

no Parlamento,

um professor de finanças de duas universidades

que ganha como primeiro-ministro

declarou,

a propósito de um aumento de salários dos professores,

que tinha vergonha de ser professor.

De todas as declarações do primeiro-ministro

considero ser aquela

a mais séria e verdadeira.

Por mim escrito, há décadas, veio-me à memória agora em que esse primeiro-ministro passou a presidente da república  e optou pela reforma ou reformas contra o salário do (des)cargo, já que não podia acumular. É provável que agora tenha vergonha de ser pr e também de ser aposentado (sem dinheiro ao fim do mês como confessou) neste país de um povo que o elegeu a seu pedido obrigando- se a tantos sacrifícios. Apelo a povo tão generoso que o desobrigue, já que eu não posso por ser da parte do povo que ele considera não representar e com razão.