a saudade

dle32

A.  ofereceu-me um desesperado ramo de rosas amarelas e pediu-me que o beijasse.  Assim fiz.

E a R.A. beijou a V. pelo ramo de rosas cor de rosa enquanto a R.  beijou os dois pelo ramo de rosas cor de laranja.

A gata não deixou de olhar para toda a cena com os olhos coruscantes e ciumentos.

Quando ele desembrulhou o seu raminho de sardinhas e, cerimoniosamente, o

colocou no prato da gata, ela assanhou-se e, não  sei se aos beijos, atirou-se ao

A.  como é natural que as gatas se atirem a um gato.

…………………………………….

no tempo em que foi escrito e foi lido na rádio em 1993, o pretexto foi dar um abraço ao A.